quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Hulk não tem preço

Hulk (foto ASF)
Hulk está de novo em alta. Os três golos que apontou nos dois últimos jogos - um na Ucrânia, frente ao Shakhtar, e os dois no Dragão, com o SC Braga - ajudaram o FC Porto a reentrar no trilho certo e a manter-se em relevo nos quadros classificativos da Champions e da liga nacional.

No momento de maior tensão na cabina portista, coube a Hulk o papel de iniciar a desejada revolução em campo. Após o desastre de Coimbra, com a eliminação da Taça de Portugal, numa partida em que nem ele conseguiu resolver os grandes problemas de identidade que a equipa sentiu, o atacante brasileiro libertou as amarras que prendiam o dragão e abriu caminho para duas vitórias importantíssimas para eliminar o quadro de turbulência em que o clube se encontrava.

São exibições assim, com qualidade e golos, que despertam a atenção dos grandes clubes internacionais. Hulk é já uma figura conhecida de todos os departamentos de scouting dos principais emblemas da Europa, mas jogar como titular na selecção do Brasil, como aconteceu nos dois desafios de carácter particular, e assumir-se cada vez mais como a grande estrela do FC Porto, um clube sempre na moda no mercado de transferências, abre ainda mais os horizontes para o incrível.

Sair só mesmo pelos 100 milhões, o que equivale por dizer que Hulk, neste 
momento, não tem preço.

Fonte: abola.pt

Assistências: Hulk destaca-se, Moutinho segue-o de perto

Brasileiro do F.C. Porto somou sexto passe decisivo na 11ª jornada.


Ninguém na Liga cria tantos golos quanto Hulk. O brasileiro do F.C. Porto é rei das assistências com seis passes decisivos, o último dos quais na vitória portista sobre o Sp. Braga. 

Hulk continua assim a defender o título conquistado na época passada, mas a revelação vem da Madeira, com o extremo do Marítimo, Danilo Dias a somar cinco passes para golo. João Moutinho, que ofereceu a Hulk o segundo golo do F.C. Porto, diante do Sp. Braga, colou-se também à segunda posição, com a quinta assistência da época.

Nesta 11ª jornada, destaque ainda para as assistências de Aimar, no «derby» e de Bruno Teles, no triunfo do V. Guimarães sobre o V. Setúbal: os dois jogadores conseguiram o terceiro passe para golo nesta edição da Liga.

Fonte: maisfutebol.iol.pt

terça-feira, 29 de novembro de 2011

A dançar com Souza em homenagem ao Vasco

Depois do segundo golo apontado ao Braga, Hulk esperou por Souza para uns passos de dança em forma de festejo. Afinal, que dança estranha foi aquela? E por que razão dançou Hulk com Souza? A história transporta-nos para o outro lado do Atlântico, mais concretamente para o Brasil, onde no próximo domingo se decide entre o Vasco da Gama e o Corinthians quem vai ser o campeão brasileiro. Souza é um confesso torcedor do Vasco, clube que representou antes de sair para o FC Porto, e pediu a Hulk, antes da partida com o Braga, para dançar aquela música em homenagem à equipa do Rio de Janeiro. E aquela música é tão só o novo funk do clube, chamado Trem-Bala da Colina, produzida por um conhecido músico brasileiro, Yuri, e que está em alta rotação, sobretudo entre os adeptos do Vasco, que não se cansam de a cantar - e dançar - no estádio.

Agora sobra outra pergunta: por que terá Hulk aceite o repto do compatriota? É fácil: o avançado torce, no Brasil, pelo Palmeiras, um dos rivais do Corinthians, e não quer ver o grande adversário a festejar o título de campeão no próximo domingo. Curiosamente, é o próprio Palmeiras que poderá impedir o Corinthians de vencer o campeonato, uma vez que terá de vencer o jogo para possibilitar a conquista do Vasco. É caso para dizer que o balneário do FC Porto está tão unido que até há parcerias para "ajudar" a decidir o campeão no... Brasil.

Fonte: ojogo.pt

Incrível a 9

ESTREIA CANARINHA

Hulk estreou-se a titular pela selecção brasileira precisamente no centro do ataque: foi frente ao México e o Brasil venceu (2-1). Estas novas experiências no Dragão reforçam-lhe o estatuto de polivalente, que poderá ser bastante útil na hora de Mano Menezes decidir.


NOITE LOUCA EM ISTAMBUL

Há um jogo marcante de Hulk na época passada: na visita a Istambul, para defrontar o Besiktas, o brasileiro jogou a totalidade da segunda parte no centro do ataque devido à expulsão de Maicon (43'), que forçou a saída de Falcao. Resultado: dois golos de Hulk numa vitória (3-1) importante na Liga Europa.


DERROTA COM O RIVAL

O FC Porto só não venceu um jogo quando Hulk jogou no centro do ataque. Foi na recepção ao Benfica (2-0), na última temporada, num jogo referente à primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal.

Fonte: ojogo.pt

Hulk até marca mais no meio

Os números não deixam margem para grandes dúvidas: Hulk marca mais golos quando joga no centro do ataque. Vítor Pereira recuperou nos jogos com o Shakhtar e o Braga a fórmula experimentada na última época por André Villas-Boas e uma análise mais fria e detalhada do rendimento do internacional brasileiro é bem capaz de acabar de uma vez por todas com as dúvidas; é que Hulk marcou 10 golos nos onze jogos que realizou como ponta-de-lança ao longo da última época e meia. Sintomático. Mesmo assim, será justo dizer-se que Hulk é mesmo um ponta-de-lança? É claro que não, mas a verdade é que a sua grande qualidade lhe permite fazer essa posição com resultados ainda mais satisfatórios no plano individual. Aliás, e não querendo fazer de Hulk um especialista no jogo aéreo, os factos mostram ainda que os únicos dois golos apontados de cabeça pelo brasileiro desde que chegou ao FC Porto surgiram quando ocupou uma zona mais central do ataque - o últimos dos quais frente ao Braga; o primeiro com o Nacional, na época passada.

Mais há mais: se no plano individual não há dúvidas de que Hulk marca mais quando joga no meio, no aspecto colectivo os números também mostram que a equipa consegue obter excelentes resultados quando é esta a opção do treinador. É que nestes tais onze jogos aqui dissecados, o FC Porto venceu 10 e perdeu apenas 1, na recepção ao Benfica da última época para a Taça de Portugal. Mas venceu, por exemplo, jogos com características tão distintas como a recepção ao Marítimo ou Pinhalnovense, como também as deslocações a Sevilha ou, mais recentemente, a Donetsk.

Hulk já referiu que prefere jogar sobre a direita e o próprio Vítor Pereira não garantiu, após a vitória frente ao Braga, que o brasileiro continuaria no centro do ataque nos jogos que se seguem. A verdade é que este bom rendimento individual e colectivo abre espaço a outra questão: se na época passada Villas-Boas empurrou Hulk para o meio quando não tinha Falcao disponível, agora esta opção parece surgir devido às dúvidas quanto ao rendimento dos dois pontas-de-lança do plantel. Kléber e Walter continuam a apresentar um rendimento demasiado inconstante e, para além disso, existem neste grupo de trabalho vários extremos de qualidade, capazes de desempenhar bem o papel atribuído normalmente a Hulk.

Fica a dúvida do que se seguirá, na certeza, porém, de que o próximo jogo do FC Porto - recepção ao Zenit - está desenhado para nova aposta de Hulk ao meio.

Fonte: ojogo.pt

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

"Facilitámos um pouco mas estava controlado" - Hulk

Começam a faltar adjectivos para qualificar os feitos de Hulk, mas o brasileiro também não poupou nas palavras para destacar a boa exibição do FC Porto. "Mais uma", disse ele. "Foi um jogo bom, sempre controlado por nós, mas depois do terceiro golo acabámos por facilitar um pouco. Apesar disso, o mais importante foi a vitória e o facto de termos somado mais três pontos", referiu.

Depois de mais este triunfo, o segundo consecutivo da equipa em jogos de um elevado grau de dificuldade, Hulk não tem grandes dúvidas de que o mau momento da equipa ficou definitivamente para trás. "Infelizmente, há dias em que nada corre bem. Não estava a correr bem e estávamos um pouco sem sorte. Mas depois, frente ao Shakhtar, e com temperaturas muito baixas, conseguimos realizar um grande jogo. Agora vamos defrontar o Zenit, numa partida ainda mais importante. Queremos vencer para seguir em frente na Champions", adiantou o brasileiro, que ontem, com os dois golos, chegou à meia dúzia no campeonato.

Fonte: ojogo.pt

HULK FOI O MELHOR EM CAMPO

Hulk foi distinguido como o melhor jogador em campo no FC Porto-Braga, da 11.ª jornada da Liga, que os campeões venceram por 3-2. O avançado portista foi autor de dois golos e uma assistência, apontando os dois primeiros tentos da partida e oferecendo o terceiro a Kléber, com um passe atrasado, na direita.










Fonte: fcporto.pt

A ESTRELA: Hulk 8

Ele é mesmo incrível até a voar sobre os centrais

Segunda vitória consecutiva do FC Porto, segunda grande exibição de Hulk. Se em Donetsk o avançado marcou um golo e desenhou outro, ontem assinou mais dois e ainda ofereceu o terceiro a Kléber numa bandeja de luxo. Depois de mais este recital de qualidade, ficou mais difícil de argumentar que o internacional brasileiro não sabe jogar pelo meio, nem é um jogador de área, sobretudo depois daquele primeiro golo marcado - imagine-se! - com a cabeça. Para a história, ficou mais um jogo com a incrível marca de Hulk; e agora já só faltam dois golos para igualar Falcao na lista de melhores goleadores do Estádio do Dragão...

Fonte: ojogo.pt

UMA VITÓRIA COM CABEÇA E CORAÇÃO

O FC Porto bateu o SC Braga por 3-2, num jogo em que Hulk, com dois golos e uma assistência, voltou a ser incrível. O brasileiro fez o 1-0 de cabeça, ainda na primeira parte, e depois a equipa teve alma e inteligência para interpretar os diferentes momentos do encontro e “matá-lo” nos minutos finais. Os Dragões continuam na liderança da Liga e estão há 50 jogos sem perder na prova.

A primeira parte foi totalmente dominada pelo FC Porto, que imprimiu um grande ritmo à partida. A qualidade do jogo ofensivo dos Dragões foi subindo com o passar do tempo, mas apenas aos 25 minutos o guarda-redes Quim foi forçado a uma defesa, após remate do Hulk. Na etapa inaugural, os bracarenses apenas assustaram Helton por uma vez.

O golo haveria de surgir aos 37 minutos: Defour teve uma grande arrancada e serviu James, que cruzou de pé esquerdo para cabeça de Hulk. Quim ficou a meio do caminho e o SC Braga passou a ser a segunda melhor defesa do campeonato fora do seu estádio, atrás do FC Porto, que tem apenas dois golos sofridos. Até ao descanso, houve várias jogadas entusiasmantes dos azuis e brancos, como um rodopio e remate de Hulk, aos 42 minutos, que quase dava o 2-0.

Nos primeiros 20 minutos da segunda parte, a toada do encontro foi a mesma, com amplo domínio portista. Aos 66, Alvaro cruzou da esquerda para a cabeça de James, obrigando Quim a uma grande defesa. Seguiu-se uma reacção do SC Braga, que, ainda assim, só aos 72 minutos criou perigo, num remate de Alan desviado por Helton.

O FC Porto soube resguardar-se no melhor momento do adversário e matar o encontro aos 78 minutos: João Moutinho e Hulk fizeram uma tabelinha, que culminou num remate fulminante do “Incrível”, à entrada da área. Sem conseguir responder ao coração e à qualidade técnica dos portistas, os bracarenses abriram brechas na sua defensiva que permitiram aos Dragões criar sucessivas oportunidades de golo, incluindo um tento anulado a Hulk por fora de jogo duvidoso. Mas o 3-0 chegaria pelo pé de outro suplente, Kléber, servido por Hulk, em mais uma arrancada imparável. Os dois brasileiros somam agora seis golos na Liga, sendo os melhores marcadores dos azuis e brancos.

Nos minutos finais, Lima marcou por duas vezes, reduzindo a desvantagem bracarense e tornando o resultado algo enganador, dado que os forasteiros se aventuraram poucas vezes no ataque. No entanto, fica o grito entoada nas bancadas: “o campeão voltou”. E esta é claramente uma equipa em crescendo, capaz de dar ainda muitas alegrias aos adeptos.

FICHA DE JOGO

FC Porto-SC Braga, 3-2

Liga Portuguesa 2011/12, 11.ª jornada
27 de Novembro de 2011
Estádio do Dragão, no Porto

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)
Assistentes: Rui Licínio e João Silva
Quarto árbitro: Cosme Machado

FC PORTO: Helton «cap»; Maicon, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, João Moutinho e Defour; Djalma, Hulk e James
Substituições: Djalma por Rodríguez (64m), Defour por Souza (64m) e James por Kléber (80m)
Não utilizados: Bracali, Belluschi, Fucile e Varela
Treinador: Vítor Pereira

SC BRAGA: Quim; Salino, Douglão, Ewerton e Paulo Vinícius; Djamal, Hugo Viana e Fran Mérida; Alan, Lima e Paulo César
Substituições: Fran Mérida por Mossoró (60m), Paulo César por Hélder Barbosa (70m) e Djamal por Nuno Gomes (76m)
Não utilizados: Berni, Rodrigo Galo, Vinicius e Rivera
Treinador: Leonardo Jardim

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Hulk (37m e 78m), Kléber (82m) e Lima (88m, g.p. e 90m+2)
Disciplina: cartão amarelo a Alvaro (11m), Maicon (55m), Salino (73m) e Hulk (88m)



Fonte: fcporto.pt

sábado, 26 de novembro de 2011

Convocatória FC Porto - SC Braga

O Hulk está convocado para o jogo de amanhã contra o SC Braga, às 18h15, no Estádio do Dragão.


Lista de convocados:  Helton, Maicon, Alvaro, Belluschi, João Moutinho, Rodríguez, Kléber, Hulk, Fucile, Rolando, Varela, James, Djalma, Souza, Fernando, Otamendi, Bracali e Defour.

Hulk rivaliza com Messi

Hulk rivaliza com Messi (foto ASF)
Hulk a bater-se com Messi no número de remates à baliza no quadro da Champions de acordo com as contas da UEFA. 

Após a quinta ronda da prova, o avançado do FC Porto tem 13 remates enquadrados e 19 ao lado, enquanto a estrela argentina do Barcelona apresenta produtividade um pouco superior: 17+19. 

A diferença também não é grande em termos de golos apontados, Messi soma seis pelo Barça, Hulk leva quatro pelo FC Porto na grande montra, sendo que o argentino tem mais minutos em campo do que o incrível (450 contra 438).

Fonte: abola.pt

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Hulk: "Fomos guerreiros"

Hulk repartiu o mérito da vitória por todos os seus companheiros. "Sabíamos que se entrássemos concentrados, podíamos sair daqui com um resultado positivo. Os três pontos conseguidos devem-se aos jogadores, que foram guerreiros do princípio ao fim", sustentou. Apesar de uma vitória importante, o Incrível não perdeu o discernimento: "Agora só dependemos de nós para passarmos, mas não podemos perder a noção de que é preciso continuar a trabalhar, manter os pés no chão e manter a humildade e, se Deus quiser, vamos conseguir já os três pontos em casa com o Braga, no campeonato, para depois pensar na Liga dos Campeões e conseguir uma vitória que nos permita seguir em frente."


Fonte: ojogo.pt

A ESTRELA

Hulk 8
O mérito de vencer uma luta desigual

O FC Porto entregou a decisão do jogo a Hulk e o brasileiro respondeu com uma exibição de grande nível. No regresso ao centro do ataque, e depois de muitas tentativas e remates, o brasileiro marcou um bom golo (de pé direito!) e construiu, com uma jogada genial, parte significativa do segundo. Isto tudo numa luta desigual que teve de travar com os defesas adversários, até porque teve de os enfrentar quase sempre sozinho... Mas Hulk não se assustou, nunca desistiu, tentou, rematou, fintou e acabou por ter o prémio merecido já perto do final da partida. A equipa agradeceu o regresso de um avançado incrível. Vítor Pereira também.

Fonte: ojogo.pt

FC PORTO ESTÁ DE VOLTA

As notícias da eliminação do FC Porto na Liga dos Campeões eram um claro exagero. Uma vitória, por 2-0, em Donetsk relança o campeão nacional na competição, precisando agora de bater o Zenit a 6 de Dezembro, no Dragão, para garantir um lugar nos oitavos-de-final. Todos ao Dragão apoiar a equipa.

Ninguém o escondia, os dias não eram propriamente felizes e a equipa não rendia ao nível que habituou os adeptos, mas depois de muito sofrimento, alguma sorte em duas bolas que beijaram os ferros, acabou por ser muito superior na meia-hora final, com Hulk a abrir o marcador a dez minutos do final e um auto-golo de Rat em cima dos 90 a confirmar uma justa vitória do FC Porto.

A noite fria de Donetsk começou com um calafrio na primeira jogada da partida, mas logo a seguir Hulk podia ter aberto o marcador, após um cruzamento de Alvaro Pereira que Hulk recebeu no peito, rematou de pé direito, mas um adversário conseguiu impedir o golo.

O Shakhtar atacava mais e aos dez minutos Luiz Adriano isolou-se e rematou cruzado, com bola a bater no poste. A sorte que tão madrasta tem sido com os Dragões parecia querer dizer que desta vez podíamos contar com ela. E isso voltou a acontecer aos 73 minutos, quando um remate de Fernandinho ressaltou num defesa, obrigando Helton a uma defesa de recurso, com a bola a bater no poste. Pelo meio alguns contra-ataques do FC Porto de perigo relativo, mas à medida que o tempo corria os Dragões ganhavam metros no campo e ameaçavam a baliza de Rybka.

Mas foi no último quarto de hora que o FC Porto acentuou o domínio, com Hulk a isolar-se após um passe belíssimo de João Moutinho e a marcar de pé direito na cara do guarda-redes.

O FC Porto chegava à vantagem, resultado necessário para não depender de uma vitória gorda sobre o Zenit, e em cima dos 90, um remate de Maicon acabou desviado por Rat para a própria baliza.

O FC Porto soma agora sete pontos, precisa de vencer o Zenit para assegurar o apuramento, sendo que já garantiu os serviços mínimos, que é passar para a Liga Europa, competição de que é campeão.

FICHA DE JOGO

Shakhtar Donetsk-FC Porto 0-2
Liga dos Campeões 2011/12, quinta jornada
23 de Novembro de 2011
Donbass Arena, em Donetsk
Assistência: 3275 espectadores

Árbitro: Craig Thomson (Escócia)
Assistentes: Alasdair Ross e Derek Rose
Assistentes adicionais: Steven McLean e Stephen O'Reilly

SHAKHTAR DONETSK: Rybka, Kobin, Kusher, Rakitskiy e Rat; Hubschman e Fernandinho; Eduardo, Mkhitaryan e Willian; Luiz Adriano.
Substituições: Eduardo da Silva por Jadson (59m), Willian por Alex Teixeira (69m), Kobin por Douglas Costa (87m)
Não utilizados: Tetenko, Gai e Chyzhov.
Treinador: Mircea Lucescu

FC PORTO: Helton; Maicon, Otamendi, Rolando e Alvaro Pereira; Fernando, Defour e João Moutinho; Djalma, Hulk e James Rodríguez.
Substituições: Djalma por Cristian Rodriguez (73m), James por Varela (81m), Defour por Souza (88m)
Não utilizados: Bracali, Fucile e Kléber..
Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 0-0
Marcadores: Hulk 79m; Rat 90m (pb)
Disciplina: James Rodriguez 35m, Eduardo da Silva 50m; Jadson 65m; Kobin 75m.



Fonte: fcporto.pt

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Jogo 40 de Hulk na Europa

Hulk (foto ASF)


O nome do proprietário até pode não estar inscrito no clube dos colossos do futebol, mas o Donbass Arena é indiscutivelmente um palco de eleição, cenário tão belo quanto prestigiante para se associar a um capítulo importante na carreira de qualquer futebolista. 

Hulk assume o papel de protagonista da história, fazendo sua, por uma noite, a casa do Shakhtar Donetsk a fim de assinar o seu 40.º jogo internacional pelo FC Porto.

Um número redondo, de respeito e transparente no que se deve entender pela influência e preponderância do brasileiro desde a sua chegada ao Dragão. Qual força da natureza, o avançado destacou-se no recente trajecto internacional dos azuis e brancos, perpetuando o seu nome em momentos de glória que o povo português soube aplaudir, eternizados em instantâneos que provam a sua convivência com as vitórias e os títulos.

A quarta época de dragão ao peito descreve uma campanha menos fulgurante no aspecto exibicional. Os arranques do Incrível não têm aberto as bocas de espanto pela Europa fora como noutras temporadas, ainda que seja indissociável e de elementar justiça realçar o seu estatuto de melhor marcador da equipa na presente edição da Liga dos Campeões, com três golos apontados.



Fonte: abola.pt

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

F. C. do Porto já chegou a Donetsk

O F. C. do Porto acaba de chegar a Donetsk, na Ucrânia, onde foi recebido com entusiasmo por vários funcionários do aeroporto, em especial, Hulk. Os Dragões defrontam o Shakhtar Donetsk na quarta-feira.

A viagem sofreu um ligeiro atraso, mas decorreu com tranquilidade. À chegada, Hulk foi de imediato abordado para fotografias e uma funcionária do aeroporto fez questão que todos os jogadores do F. C. do Porto autografassem uma bola de futebol.

Os Dragões vão agora preparar-se para defrontar o Shakhtar Donetsk, na quarta-feira, às 19.45 horas, num jogo da 5ª. jornada do Grupo C da Champions.

À chegada a Donetsk, a temperatura era de 0 graus e esperam-se temperaturas negativas para a noite do jogo.

A Ucrânia recebe, a par da Polónia, este Euro 2012.

Fonte: jn.pt

FC Porto partiu com escolta: «Hulk, levanta a cabeça»

Dragões já seguem a caminho da Ucrânia, passaram pelo aeroporto em 
silêncio e encontram algum aparato policial


A comitiva do FC Porto embarcou ao início da tarde para a Ucrânia, onde defronta nesta quarta-feira o Shakhtar, em jogo da Champions. A passagem pelo aeroporto Francisco Sá Carneiro foi feita sob visível aparato policial: dez agentes da PSP e dois spotters garantiram a segurança da equipa.

O treinador Vítor Pereira foi escoltado por um agente da polícia entre o autocarro e a zona de embarque, numa altura detensão no Dragão, depois da eliminação da Taça de Portugal frente à Académica. Pelo caminho parou apenas para dar um autógrafo a uma senhora de idade, que o abordou rapidamente.

De resto havia poucos adeptos à espera da equipa: a maior parte dos presentes eram passageiros em trânsito pelo aeroporto que foram espreitar a passagem da comitiva por curiosidade. Só um ou outro adepto foi propositadamente ao aeroporto, sendo que era facilmente identificado pelos jogadores.

Um dos adeptos deixou mesmo uma mensagem curiosa a Hulk: enquanto o brasileiro passava pelo aeroporto, de olhos colocados no chão, o adepto atirou-lhe um «força Hulk, levanta a cabeça». O brasileiro, que já tinha dado um autógrafo antes disso, olhou para o adepto e agradeceu o apoio.

A passagem pelo aeroporto, de resto, foi feita em total silêncio, num ambiente de rostos fechados e seriedade. Pinto da Costa seguiu com a equipa, mas também passou rápido pela zona comum. A comitiva chegou por volta das 13.40 horas, levantou por voltas das 14 e deve chegar a Donetsk pelas 18.45 horas.



Fonte: maisfutebol.iol.pt

Convocatória Shakhtar - FC Porto

O Hulk está convocado para o jogo desta quarta-feira, às 19h45 (em Portugal continental), em  Donetsk.


Lista de convocados: Helton, Maicon, Alvaro, Belluschi, João Moutinho, Rodríguez, Kléber, Hulk, Fucile, Rolando, Varela, James, Djalma, Souza, Fernando, Otamendi, Bracali e Defour.

domingo, 20 de novembro de 2011

Como jogou Hulk

Hulk 4
Depois de ter passado a primeira parte a protestar com o árbitro, surgiu na segunda com vontade de se tornar decisivo. Rematou, procurou criar desequilíbrios e mudar o rumo dos acontecimentos, embora nem sempre tenha escolhido a melhor opção. Ficou a intenção.

Fonte: ojogo.pt

sábado, 19 de novembro de 2011

«Às vezes cai um raio e nada dá certo» - Hulk

Hulk não encontra explicação para o mau momento (foto ASF)
O hoje capitão de equipa do FC Porto, Hulk, mostrou-se destroçado na flash interview após o encontro.

«Não há maneira de explicar esta derrota. Fizemos um jogo horrível e é difícil explicar porquê. São coisas que acontecem no futebol. De repente cai um raio e nada dá certo», começou por dizer o brasileiro.

«Estamos num momento ruim. Estamos fora da taça e é pena. Agora temos de trabalhar para superar isto», acrescentou.

Fonte: abola.pt

FC PORTO DESPEDE-SE DA TAÇA EM COIMBRA



O FC Porto foi este sábado eliminado da Taça de Portugal, depois de perder por 3-0 com a Académica, em Coimbra. Depois de três troféus nas últimas três edições da competição, o FC Porto despede-se da competição, após uma exibição muito fraca.

Após uma primeira parte de domínio dos Dragões, mas sem que a equipa tivesse conseguido criar situações de remate, o intervalo parecia ter feito bem à equipa, que nos primeiros minutos da etapa complementar criou problemas à equipa de Coimbra.

Um contra-ataque da Académica, conduzido por Sissoko, permitiu a Marinho abrir o marcador aos 65 minutos de jogo e como que fez ruir a equipa do FC Porto, que nunca mais se recompôs.

A perder, o FC Porto tentou forçar no ataque, mas acabou por ser a Académica a ampliar o marcador, com um golo de Adrien Silva, após novo contra-ataque.

Em cima do final, Diogo Valente fechou o resultado, numa dolorosa derrota para o FC Porto, que se despede de uma competição que vencia há três anos consecutivos.

FICHA DE JOGO

Académica-FC Porto 3-0
Taça de Portugal 2011/12, IV eliminatória
19 de Novembro de 2011
Estádio Municipal de Coimbra

Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal)
Assistentes: António Godinho e Nuno Conceição
ACADÉMICA: Ricardo; João Dias, Berger, João Real e Hélder Cabral; Pape Sow; Adrien e Diogo Melo; Marinho, Éder e Sissoko.
Substituições: Marinho por Diogo Valente (73m); Diogo Melo por Júlio César (77m), Éder por Fábio Luís (90+1m)
Não utilizados: Peiser, Cédric, Nivaldo e Hugo Morais.
Treinador: Pedro Emanuel

FC PORTO: Bracali; Maicon, Rolando, Otamendi e Álvaro Pereira; Fernando; Moutinho e Belluschi; Hulk, Walter e Varela.
Substituições: Belluschi por James Rodriguez (59m), Varela por Kléber (68m), João Moutinho por Defour (68m)
Não utilizados: Helton, Mangala, Souza e Djalma.
Treinador: Vítor Pereira
Ao intervalo: 0-0
Golos: Marinho 64m; Adrien Silva 81m; Diogo Valente 89m

Disciplina: cartão amarelo a Otamendi 55m; Belluschi 59m, Rolando 61m, Hulk 82m; Ricardo 90+1m.



Fonte: fcporto.pt

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Convocatória Académica - FC Porto

O Hulk está convocado para o jogo de amanhã frente a Académica, da quarta eliminatória da Taça de Portugal, às 20h15.


Lista de convocados:  Helton, Maicon, Alvaro Pereira, Belluschi, João Moutinho, Kléber, Hulk, Rolando, Varela, Walter, James, Djalma, Mangala, Souza, Fernando, Otamendi, Bracali e Defour.

Quem não quer Hulk?

Hulk já está a agitar o mercado de Inverno. Ainda falta mais de um mês para o período de transferências reabrir e os rumores vão-se multiplicando. A questão que se levanta é: quem não quer Hulk? A julgar pelas notícias dos últimos dias, os interessados fazem fila. À boleia da titularidade do Incrível na selecção do Brasil, surgiram notícias sobre o alegado interesse do Chelsea, Manchester United, Anzhi e PSG. Tudo clubes com muitos milhões para gastar, mas que dificilmente estariam dispostos a passar um cheque de 100 milhões de euros, o valor da cláusula de rescisão.

Ontem, o brasileiro do FC Porto foi notícia em Inglaterra e em França por via dos supostos interesses dos grandes desses países. O "talkSport.com" dizia que o Chelsea de Villas-Boas estaria disposto a pagar 40 milhões de libras (cerca de 47 milhões de euros) pelo brasileiro, mas que, mesmo assim, estaria na iminência de perder batalha pela sua contratação para o Anzhi, o novo-rico da Rússia.

A ideia do multimilionário Suleyman Kerimov, dono do Anzhi, passa por juntar o Incrível a Eto'o no ataque da equipa. O que até esteve perto de acontecer em Agosto, conforme foi revelado recentemente por German Tkachenko, um empresário que lidera a ProSports Management, empresa que trabalha directamente com os russos. "Falámos com o jogador e chegámos a um entendimento, mas o FC Porto exigiu um valor astronómico de 70 milhões de euros para concretizar o negócio".

A operação não avançou, mas o interesse mantém-se. Contudo, os russos estudam alternativas e Berbatov, do Manchester United, será uma delas. Suplente na equipa de Nani, o búlgaro poderá estar mesmo de saída e o Anzhi prepara uma oferta de 15,7 milhões de euros. E é aqui que os red devils entram na história de Hulk. Segundo uma notícia de ontem, Alex Ferguson teria dado ordens para sondar o FC Porto e acenar com uma proposta de 30 milhões de euros mais o passe de... Berbatov.

Finalmente, ontem também foi avançado o interesse do PSG, o emblema francês que também nada em dinheiro. Segundo se diz terá cerca de 120 milhões de euros para gastar em Janeiro e grande parte seria para investir em Hulk. O director-desportivo dos franceses, Leonardo, já teria, inclusive, entrado em contacto com o compatriota para o tentar convencer a mudar-se para Paris.

Créditos goleadores reconhecidos na Europa

Pinto da Costa foi claro quando disse que Hulk tinha características bem diferentes de qualquer outro avançado. Esta faceta do Incrível já o conduziu até à selecção brasileira, cujo técnico começa a convencer-se finalmente de que o avançado do FC Porto pode ser uma mais valia para a "canarinha", depois de ter voltado a testá-lo no onze nos particulares com o Gabão e o Egipto. A este estilo diferente, Hulk junta uma capacidade goleadora que se revelou em especial na temporada passada, onde alcançou os 36 golos, impressionando os responsáveis dos maiores emblemas europeus. Mas só ao serviço dos azuis e brancos o brasileiro já festejou por 62 vezes. Melhor cartão de visita, para quem joga habitualmente encostado à linha, é difícil...

Fonte: ojogo.pt

terça-feira, 15 de novembro de 2011

OBRIGADO A TODOS !!!


ESTAMOS A CRESCER DE DIA PARA DIA, GRAÇAS A TODOS VOCÊS QUE VISITAM O NOSSO BLOG DIARIAMENTE, AQUELES QUE VÃO "ADEREM" E DIVULGAM, SEM VOCÊS NADA DISTO ERA POSSÍVEL!!
UM GRANDE E SINCERO OBRIGADO A TODOS QUE NOS AJUDARAM A CHEGAR ATÉ AQUI!! 
LEMBREM-SE SEMPRE: SOMOS PORTO, SOMOS HULK! ♥♥

Hulk: «O cabelo vermelho? Nunca...»

COR DO ETERNO RIVAL ESTÁ COLOCADA DE PARTE




A cada chamada à seleção brasileira, Hulk vibra como se fosse a primeira vez. O Incrível dá largas à sua alegria e a imprensa do seu país aproveita todas as oportunidades para revelar tudo o que diz respeito ao novo inquilino do escrete. O site Globoesporte quis saber o motivo pelo qual o avançado decidiu pintar o cabelo recentemente e até o desafiou a outras excentricidades no futuro. Nem todas são aceites... “No Japão variei muitas vezes o cabelo. Em Portugal é que mantive a cor e curto. Há um mês, acordei e fui ao salão, porque resolvi pintar de louro. Ficou um pouco diferente. Quem sabe se não o faço novamente? Agora, de vermelho? Nunca...”, garantiu o Incrível, quando foi desafiado a optar pelo tom do Benfica, o eterno rival.
Em campo, o dianteiro, de 25 anos, cumpriu mais um objetivo, tendo sido utilizado pelo selecionador Mano Menezes nos jogos contra o Gabão e o Egito. “Estou feliz por fazer parte da seleção e espero continuar por aqui. Todos os momentos são para nos dedicarmos ao máximo, porque são momentos únicos. É preciso estar concentrado e aproveitar cada minuto para ser lembrado noutras oportunidades”, apontou o brasileiro.


Fonte: record.pt

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Seleção Brasileira se despede de 2011 com boa vitória sobre o Egito

No último amistoso da Seleção Brasileira em 2011, o Brasil venceu o Egito por 2 a 0. Os dois gols foram marcados por Jonas, que esteve em noite inspirada em Doha, nesta segunda-feira.
BRASIL
Diego Alves, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Alex Sandro; Lucas Leiva, Fernandinho (Elias), Bruno Cesar (Willian) e Hernanes; Hulk (Dudu) e Jonas (Kléber).
Foi um primeiro tempo movimentado. Melhor para o Brasil, que conseguiu abrir o placar aos 39 minutos de jogo. Hulk fez boa jogada, cruzou para área e Jonas marcou seu primeiro gol com a camisa amarelinha. 1 a 0.
Por pouco Jonas não ampliou logo no início da segunda etapa. Mas, se não foi no primeiro, foi no segundo lance que ele conseguiu fazer 2 a 0 para o Brasil. Após cobrança de falta Bruno César, Fernandinho cabeceou e o camisa 9 aproveitou o rebote. 2 a 0 Brasil.
Mano Menezes aproveitou o segundo tempo para fazer várias substituições, no entanto, o placar não se alterou.







Fonte: cbf.com.br

Hulk anseia pelo golo no regresso ao local da estreia

Exactamente dois anos depois, Hulk voltará a representar a selecção brasileira em Doha, capital do Catar, local que marcou a sua estreia na canarinha, na altura liderada por Dunga. Se no dia 14 de Novembro de 2009 o avançado entrou para somar apenas os minutos finais da vitória (1-0) sobre a Inglaterra, desta vez será titular, repetindo o estatuto conquistado na última partida frente ao Gabão. Mas, agora, o objectivo do portista é outro: estrear-se a marcar na mesma cidade em que se estreou pela selecção. "Espero deixar uma boa impressão neste jogo, já que é o último que a selecção vai realizar este ano. Tenho feito o que o Mano me pede e desejo realizar mais uma boa exibição. E será excelente para mim se o golo surgir neste momento", comentou o avançado portista, que ontem voltou a ser um dos mais procurados pelos adeptos locais - a par de Dani Alves e David Luiz - na visita que a selecção fez antes do treino à Feira do Desporto de Doha. "Estava a conversar com o pessoal da equipa e lembrámos que a minha primeira convocação foi para uma partida aqui, em Doha. Recordo-me que foi contra a Inglaterra e que o estádio estava cheio. Estou muito empolgado com este regresso", afirmou.


Fonte: ojogo.pt

domingo, 13 de novembro de 2011

Foto: Hulk no jacuzzi com Luisão e Bruno César

A imagem serve apenas para reforçar a ideia: fora dos relvados, a rivalidade não se faz sentir


Hulk, Luisão, Bruno César e Adriano
A imagem serve apenas para reforçar a ideia: fora dos relvados, a rivalidade não se faz sentir. Hulk, Luisão e Bruno César partilharam o jacuzzi na selecção do Brasil, à margem do encontro particular frente ao Gabão (0-2).

Alex Sandro e Kléber, outros dois jogadores do F.C. Porto, também foram chamados por Mano Menezes. Elias (Sporting) completou o leque de representantes da Liga portuguesa.

Na madrugada deste sábado, através do Twitter gerido pela sua assessoria, Hulk publicou uma fotografia que prova o convívio saudável com os rivais do Benfica.

Luisão e Bruno César, a par de Adriano (Barcelona), descontraem a par do Incrível no jacuzzi. Luisão é capitão do Benfica e Hulk é um dos sub-capitães do F.C. Porto. Por cá, mantem-se a rivalidade. 

Fonte: maisfutebol.iol.pt

Hulk novamente titular no Brasil

Hulk vai voltar a ser titular pelo Brasil (foto AP)
Hulk vai ser titular no jogo amigável que o Brasil realiza na segunda-feira, em Doha (Catar), frente ao Egipto. 

O avançado do FC Porto jogou 70 minutos na partida de anteontem, no Gabão, sendo depois substituído pelo seu companheiro nos dragões, Kléber. 

Agradado com o rendimento do incrível, o seleccionador Mano Menezes pretende voltar a vê-lo em acção durante a maior parte do jogo, pois Hulk tem assumido, nos últimos desafios, especial destaque entre as escolhas do técnico, que nesta convocatória chamou apenas atletas que actuam na Europa.

Os outros dois jogadores do FC Porto envolvidos nos trabalhos da selecção do Brasil, Kléber e Alex Sandro, começam o jogo novamente no banco, sendo possível que entrem no decorrer da segunda parte, como aconteceu no particular realizado em África. 

Estas foram, pelo menos, as indicações fornecidas no treino de hoje, nos relvados da Academia Aspire, no Catar.

Fonte: abola.pt

Dragões exigiram 70 milhões de euros

Quando, há uns meses, Pinto da Costa disse que Hulk é insubstituível, não estava a fazer bluff. A projecção do brasileiro, que se reforça a cada passo com a titularidade adquirida na selecção brasileira, é cada vez maior e pode atingir proporções verdadeiramente astronómicas nos desígnios do mercado mundial. "Basta" que alguém ofereça 70 milhões de euros ao FC Porto, precisamente a verba exigida aos milionários do Anzhi numa oferta recente que morreu naturalmente no leito destes números. Foram os russos que o desvendaram...

No fundo, a SAD portista deu uma resposta à altura das palavras do seu presidente e, mais recentemente, das de Antero Henrique a uma reportagem dos franceses do "L'Équipe". O Incrível é importantíssimo na estrutura azul e branca e ninguém, adeptos incluídos, o quer ver partir. Se assim tiver de ser, então que seja por números ao nível dos melhores do mundo, patamar em que o director-geral da SAD já o coloca. "Hoje em dia, Hulk faz parte do grupo dos três melhores jogadores do mundo, com Messi e Cristiano Ronaldo. Não queremos vendê-lo", disse Antero Henrique àquela publicação francesa.

A proposta do Anzhi foi ontem confirmada por German Tkachenko, um empresário russo que lidera a ProSports Management, empresa que negoceia jogadores e trabalha directamente com o clube russo que mais dinheiro tem para investir. "Falámos e conseguimos um acordo com Hulk, mas depois o FC Porto exigiu uma quantia exorbitante pelo seu passe: 70 milhões de euros", disse ao mais conceituado jornal desportivo russo, o Sport.
Sobre o acordo alegadamente alcançado com o jogador, German Tkachenko não adianta mais nada mas no passado chegou a falar-se de 10 milhões de euros por ano, mais de 800 mil euros por mês, números obviamente irrecusáveis e bastante acima do tecto salarial do FC Porto.

Indiferente às notícias, Hulk vem manifestando de forma recorrente a felicidade por continuar no FC Porto e o empenho que deposita em cada jogo, pese embora o momento no clube não ser o melhor e ter-lhe já valido uma substituição, antes de um penálti falhado no último jogo do campeonato. Pelo contrário, na selecção do Brasil, mesmo sem golos, já convenceu Mano Menezes. Ontem, o seu empresário, Teodoro Fonseca, confirmou que o seleccionador já lhe garantiu um lugar nas próximas convocatórias. A prova de que a confiança no atacante sobe em flecha é que amanhã fará o terceiro jogo consecutivo como titular, desta feita contra o Egipto. Faltam três anos até ao Mundial 2014 e até lá há muito tempo para que novas propostas cheguem ao Dragão. Málaga e Manchester City são outros clubes milionários que já admitiram gostar do jogador. Mas, tal como o Anzhi, recusam pagar o valor que o FC Porto alegadamente pede, ainda assim 30 milhões abaixo da cláusula de transferência.

Fonte: ojogo.pt

sábado, 12 de novembro de 2011

Hulk já faz parte da mobília

Palavra de seleccionador. Acabaram-se as experiências de 15 minutos (de quando em vez) para Hulk no Brasil, o que equivale a dizer que se esgotou uma fonte de ansiedade no FC Porto. "Falei com ele antes e depois do jogo com o Gabão, mas já me ligou de Doha também (o Brasil seguiu de imediato para o Catar, onde defronta o Egipto). Há uma satisfação muito grande, porque tem tido continuidade, sente que acabou a fase de testes e que já faz parte do grupo. O Mano (Menezes) tem-lhe transmitido essa confiança, deu-lhe essa garantia, disse-lhe para estar tranquilo, que ele já é um membro da equipa e que não há motivos para voltar àquela ansiedade que sempre acusava antes das convocatórias", contextualiza o agente.

É uma análise que os números confirmam. Apesar das ausências, a verdade é que Hulk conseguiu finalmente ser titular nos dois últimos particulares, pondo termo ao drama da falta de minutos de jogo. Com continuidade, mostrou valor, apesar de o golo continuar adiado. "Não há ansiedade. Se viram o jogo, perceberam que ele preferiu servir os companheiros do que procurar marcar sozinho".
Está criado o contexto para uma resposta também ao serviço do clube. "No FC Porto a cobrança é grande e ele gosta disso. Acha normal que as expectativas sejam altas e lida bem com o facto de ser um símbolo. Quando as coisas correm mal, a cobrança é em cima dele e do treinador", nomeia Teodoro Fonseca, que comenta o episódio dos assobios ao Incrível, durante o jogo com o Paços de Ferreira: "Ligou-me do balneário a dizer que fez o pior jogo da vida dele."

O mau momento do clube tem repercussão no mau momento de Hulk, mas de Olhão ao Gabão, viu-se um jogador mais desenvolto e confiante. Afinal, mudou apenas o contexto ou mudou o próprio Hulk? Na procura de respostas que projectem o jogador que o FC Porto vai recuperar para fazer frente a um ciclo decisivo (Académica, Shakhtar e Braga), descobrimos um momento de quebra, um ponto de viragem, uma introspecção que, garante quem a acompanhou, reconciliou Hulk consigo próprio.

Entre o empate com o Olhanense, no sábado, e a partida para o Gabão, na segunda, o brasileiro tirou um dia para se reencontrar. "Passou uma fase má. Nesse dia, fechou-se com a família, parou para pensar e, como é uma pessoa muito religiosa, foi à missa pedir uma ajuda. Foi uma necessidade que sentiu depois de semanas difíceis e de um jogo atípico, em que até falhou um penálti porque sabe que bateu mal", conta-nos, agora, Teodoro Fonseca. Uma fase, diz, que esta paragem de selecções ajudará a contornar.

Fonte: ojogo.pt

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Gabão-Brasil (0-2): a vitória mais «portuguesa» de sempre

Seis «portugueses» em campo e Luisão com a braçadeira; Hernanes e Sandro marcaram os golos

A selecção do Brasil venceu a sua congénere do Gabão (2-0), no amigável realizado nesta quinta-feira em Libreville. O jogo decorreu no novo estádio Nacional, cujo relvado, em condições inacreditáveis, estava transformado num autêntico pantanal. 

Com seis jogadores que actuam na Liga portuguesa, este foi o Brasil mais «português» de sempre, num jogo que permitiu as estreias de Bruno César, Alex Sandro e Kléber.

Luisão envergou a braçadeira de capitão, e foi o único a jogar os 90 minutos. Bruno César, Elias e Hulk foram confirmados no onze titular por Mano Menezes. Já Alex Sandro entrou ao intervalo, para o lugar de Fábio (Manchester United). Kléber foi o último representante da Liga portuguesa a entrar em acção, rendendo o seu colega de equipa Hulk, aos 70 minutos. 

Foi Sandro, médio defensivo do Tottenham, a marcar o primeiro golo da sua equipa (13 m), de recarga a uma defesa de recurso do guarda-redes Ebang, na sequência de um cruzamento de Bruno César, após canto curto na direita. 

Aos 35 minutos, o médio Hernanes fez o 2-0, em nova recarga, de cabeça, a uma defesa incompleta do guarda-redes gabonês, após excelente remate de Jonas, de fora da área.

Entre os dois golos, Hulk teve um bom remate de fora da área, que passou perto do poste (27 m) e no minuto seguinte Elias esteve quase a marcar, mas o seu remate foi bem defendido por Ebang, uma das figuras da partida. 

Na segunda parte, Hulk voltou a ter uma excelente ocasião, aos 55 minutos, embalando para o face a face com o guarda-redes. Mas, agarrado na camisola por um defesa do Gabão, acabou por perder a hipótese de concluir a arrancada de forma vitoriosa.

O maior destaque individual para os jogadores que actuam na Liga portuguesa acabou por ser conseguido por Bruno César, que além da participação no lance do primeiro golo teve mais algumas aberturas de bom nível, e uma espectacular tentativa de chapéu, quase do meio-campo, que passou muito perto do alvo (53 m).

Aos 70 minutos, Bruno César voltou a passar perto do golo, num lance criado por Hulk: o avançado do F.C. Porto cruzou na direita, e o médio do Benfica concluiu de primeira, sem deixar cair a bola. Só uma grande defesa do guarda-redes Ebang impediu o terceiro golo do Brasil.

O guarda-redes Diego Alves, do Valência, também teve oportunidade de valorizar a estreia na baliza do escrete com três boas defesas, num jogo em ritmo fatalmente lento, com os jogadores forçados a adaptar-se às condições do terreno.

O onze do Brasil foi o seguinte: Diego Alves, Fábio (Alex Sandro, 46 m), Luisão, David Luiz e Adriano; Sandro (Lucas Leiva, 57), Elias (Thiago Silva, 85), Hernanes e Bruno César (Willian, 71); Jonas (Dudu, 75) e Hulk (Kléber, 70).


Fonte: maisfutebol.iol.pt


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Brasil no Gabão: Hulk é a estrela mais procurada

Sem Ronaldinho Gaúcho e Kaká o portista é a estrela da companhia na selecção brasileira que vai disputar um encontro particular em África.


O Brasil é por estes dias atracção no Gabão. A «canarinha» disputa esta quinta-feira um particular com a selecção local que servirá de inauguração ao Estádio Nacional, um dos principais da CAN 2012.

A comitiva brasileira tem causado as delícias dos adeptos africanos, que inclusive já invadiram as bancadas de um treino que estava previsto ser à porta fechada. Quem é a estrela maior desta selecção brasileira?

Sem Ronaldinho Gaúcho e Kaká, Hulk é o nome mais ouvido entre os gaboneses. 

O craque do FC Porto é o mais requisitado e que cativa maiores atenções dos adeptos, que têm estado em polvorosa com a visita do Brasil. O número 12 portista é a estrela da companhia.

«Hulk, queremos ver o Hulk». Os gaboneses são peremptórios quando confrontados com a estrela que mais procuram. Dani Alves, do Barcelona, e Thiago Silva, do Milan, (passou discretamente pelo F.C. Porto), também são muito procurados pelos fãs. 

A selecção brasileira não tem as caras conhecidas que costumava ter e Hulk ganha destaque. 

«O Hulk está aqui, quero ver o Hulk», atira um popular. Ao lado, outro questiona, espantado: «O Hulk está nesta selecção? É um dos melhores avançados do mundo no momento.» 

Fonte: maisfutebol.iol.pt

Dragão virou fábrica de internacionais

Na última década, excluindo das contas a Selecção portuguesa, o FC Porto "fabricou" oito internacionais de raiz, seis deles na principal selecção do planeta: o Brasil. Aliás, com algumas condicionantes a servir de justificação, o FC Porto é o clube mais representado na última convocatória de Mano Menezes. Não é uma medalha, mas quase.
Alex Sandro e Kléber ainda só têm a convocatória para comemorar, mas é muito provável que hoje [ver também página 31] ou na próxima semana passem a fazer parte dos jogadores oficialmente estreados. Se a chamada do lateral reflecte o estatuto adquirido no Brasil, e não as exibições produzidas em Portugal, já Kléber beneficiou claramente do efeito mediático da mudança. E não foi o único.

Hulk tem sido o exemplo mais bem sucedido da montra portista no que toca a projectar internacionais para a selecção brasileira, apesar de não estar no lote dos indiscutíveis. Helton não conseguiu fixar-se nas opções e Anderson estava a despontar nas escolhas do seleccionador de então, Dunga, quando foi transferido para Manchester, onde, ironicamente, passou a ter menos atenção.

Na última década, para além das estreias absolutas, foram vários os exemplos de jogadores que recuperaram ou reforçaram o estatuto de internacionais depois de chegarem ao futebol português, e ao FC Porto em particular. Lisandro e Belluschi, na também emblemática Argentina, são os casos mais flagrantes. Um e outro tinham passagens episódicas pela selecção e repetiram mais vezes as chamadas com o rendimento no Dragão. Aliás, o salto de Lisandro para o campeonato francês significou, no que toca a internacionalizações, o ponto final.

Os critérios dos seleccionadores nas escolhas nem sempre são claros, mas, pelo que se percebe do balanço dos últimos dez anos, no quadro aqui ao lado, o FC Porto parece estar bem cotado nas atenções que dispensam ao rendimento dos jogadores. Uma montra de que todos tiram partido.



Fonte: ojogo.pt

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

No 2 toques, deu o time de cinza

Véspera de jogo, como foi essa quarta-feira, em Libreville, não tem erro: os jogadores entram em campo, fora de suas posições, para se enfrentar no tradicional treino de dois toques.
Zagueiro vira atacante, que joga na defesa, e há alguns que não jogam em posição alguma. Mas o que parece ser uma brincadeira vira jogo de verdade, com muita rivalidade em campo.
Nesta quarta, véspera do amistoso contra o Gabão, o time de cinza derrotou o time de vermelho por 4 a 2. Ao final as gozações de sempre. O zagueiro Luisão, que não gosta de perder nada, jogou no time vermelho. Estava arrependido.
- Da próxima vez escolho meu time melhor. Agora aprendi, não caio mais nessa de jogar no time do Elias. 
Mas o verdadeiro tiriça (pior em campo), Luisão não teve dúvida em apontar.
- Foi o Fábio. Põe aí que ele se esqueceu de tomar a vacina para febre amarela.
Cinza: Neto, Hernanes, Kleber, Lucas Leiva, Jonas, Hulk, Sandro, David Luiz, Alex Sandro e Adriano.
Vermelho: Diego Alves, Bruno César, Daniel Alves, Fernandinho, Dudu, Luisão, Willian, Thiago Silva, Elias e Fábio.

Fonte: cbf.com.br